fbpx

Casa do Capitão Mor Alvarinho

Casa do Capitão Mor Alvarinho,  as uvas são colhidas manualmente e transportadas em pequenas caixas para a adega para serem desengaçadas. Metade deles é submetida à maceração pelicular por cinco horas, com controle de temperatura, enquanto a outra metade é prensada após decantação, o mosto fermenta e o vinho fica sobre as borras finas com “bâtonnage” até o preparo do engarrafamento.

10,20

Casa do Capitão Mor Alvarinho

Category

Descrição

Casa do Capitão Mor Alvarinho
Vinificação
Casa do Capitão Mor Alvarinho,  as uvas são colhidas manualmente e transportadas em pequenas caixas para a adega para serem desengaçadas. Metade deles é submetida à maceração pelicular por cinco horas, com controle de temperatura, enquanto a outra metade é prensada após decantação, o mosto fermenta e o vinho fica sobre as borras finas com “bâtonnage” até o preparo do engarrafamento.

Solo
Calcário granítico de textura porfírica, coberto por um terraço terrestre de seixos rolados. Situa-se a cerca de 900m do rio Minho, e a sua altitude média é de cerca de 60 metros, sendo o terreno maioritariamente plano.

Clima
Transição entre o clima continental e litorâneo, com invernos predominantemente frios, sem neve ou geada, e verões quentes, cujas temperaturas chegam aos 40o Celsius.

Quinta de Paços
Quinta de Paços Sociedade Agrícola, Lda. é uma empresa de base familiar que explora o seu património agrícola com o objetivo de produzir vinhos de elevada qualidade e com personalidade distinta, resultante de uma especial ênfase no seu carácter natural e autêntico.
O património da sociedade compreende uma área de cerca de 200 hectares, dividida em cinco quintas no concelho de Barcelos – Casa de Paços – Quinta de Paços, Prazo da Cotovia, Morgadio do Perdigão, Quinta de Vila Meã e Morgadio de Real – e uma na concelho de Monção – Casa do Capitão-Mor – Quinta da Boavista.
No concelho de Barcelos, a Casa de Paços – Quinta de Paços é propriedade da mesma família há mais de 400 anos e 15 religião, mantendo uma tradição de perícia vitivinícola na região do Minho com mais de 4 séculos.

Casa do Capitão-Mor
Na freguesia de Mazedo, concelho de Monção, a mais remota referência ao Majorat da Boavista remonta ao século XIV, sendo então seu dono Affonso de Novaes, cavaleiro de D. Afonso III. O facto de em 1640 ter sido propriedade de Francisco Soares de Castro, o alto comandante ( Capitão-Mor ) de Monção, dá origem ao nome de Casa do Capitão-Mor , pelo que se tornaria conhecida até aos dias de hoje.

 

 

Informação adicional

Produtor

Quinta de Paços

Região

Minho

Pais de Origem

Portugal

Casta

Alvarinho

Tipo de vinho

Vinho Branco

Teor Alcoólico (º)

12º a 13º

Capacidade

75Cl

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “Casa do Capitão Mor Alvarinho”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Options

Bem -Vindo

Tem idade legal para consumir bebidas alcoólicas?

Precisa de Ajuda? Fale Connosco