Por Francisco Antunes

Cebolal Imerso Tinto 2015

A Herdade do Cebolal é um projecto familiar localizado na Costa Alentejana / Costa Vicentina entre a Serra de Santiago do Cacém e a Serra do Cercal.  

Os vinhos produzidos na Herdade do Cebolal têm um carácter Atlântico, acidez e frescura natural, devido à proximidade marítima. Têm também um carácter Meridional / Mediterrâneo em consequência da sua localização num típico vale com solos ricos em calcário e mármores, com temperaturas elevadas durante o dia, e noites e madrugadas bastante frescas o que lhes confere complexidade. 

Actualmente a herdade é gerida pela 4ª e 5ª geração de produtores. O objectivo é produzir vinhos que revelem autenticidade e as características do “Terroir” da nossa região. São produtores que gostam de desafios o que lhes permite ser inovadores e criadores respeitando sempre a mãe Natureza e os seus ecossistemas. 

Terroir

O clima e o solo da Herdade do Cebolal é também ele único. Existem dezenas de microclimas e solos (argilosos, calcáricos, xistosos, etc) em somente 20ha de vinha, o que dá pano para mangas para elaboração de vinhos. Uns solos preservam frescura, outros ajudam na complexidade da mineralidade dos vinhos e outros ajudam na retenção de água nos solos. Essa diferença de solos nota-se na uva e consequentemente nos vinhos.

Herdade Cebolal

Mas não é só devido ao solo, clima, localização e castas, que este Herdade de Cebolal Imerso Tinto é um vinho tão especial. O vinho faz-se na vinha, e é na vinha que Luís gasta a maior parte do seu tempo. Existe um cuidado e uma especial dedicação nos 20 hectares de vinha que o Luís diz que conhece como a palma da sua mão.

Entre as vinhas existe enrelvamento com o objectivo de combater a erosão e o aquecimento do solo, assim como enriquecer o terreno através da biodiversidade espontânea. Na vinha da Herdade do Cebolal para além das castas Arinto e Fernão Pires, existem também Sauvignon Blanc, Boal, Encruzado, Antão Vaz, Roupeiro, Manteúdo, Castelão, Touriga Nacional, Syrah, Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon, Merlot e Petit Verdot. Um trabalho feito ao longo de um ano para que na altura da vindima, a uva expresse a qualidade e tempo investido.

A Adega

Na adega existe o mínimo de intervenção possível, para que a uva, que depois se transforma em vinho, se expresse na sua total plenitude. Na adega da Herdade do Cebolal, para além de haver cubas de aço inox, existem também 3 lagares antigos. Estes lagares são muito especiais, pois são lagares tradicionais alentejanos, feitos com taipa, como se sempre usou no Alentejo, homenageando assim as tradições e tornando os vinhos ainda mais especiais, existindo assim uma junção entre a tradição e os conhecimentos que se tem hoje em dia. Uma aliança entre o tradicional e o moderno.

Herdade Cebolal
Herdade Cebolal

As barricas utilizadas são só barricas de carvalho francês já usadas para harmonizar com o vinho e não sobrepor em excesso aromas e sabores de madeira. As fermentações são espontâneas, isto quer dizer que não são adicionadas leveduras para iniciar a fermentação. A fermentação ocorre de uma maneira natural, com as leveduras existentes na vinha. E durante todo o processo não é adicionado nada ao vinho, a não ser doses mínimas de sulfuroso.

Desde a entrada de uva na adega até o vinho ser engarrafado existe uma preocupação com que a uva expresse todo o seu potencial com o mínimo de intervenção humana e química, o que ao contrário do que as pessoas possam pensar, é muito trabalhoso e exige uma preocupação e atenção máxima. No fundo, “vinhos feitos ao colo”, de uma forma artesanal.

Sustentabilidade

A Herdade do Cebolal é também um projecto especial devido à preocupação que tem com o meio ambiente, e este é um factor chave que se reflecte nos vinhos. Não é usado qualquer químico como insecticidas ou herbicidas. São utilizados fertilizantes naturais na vinha, assim como outros produtos naturais como por exemplo os engaços da uva ou mesmo as borras de café. Em redor da vinha existe uma floresta, que ao longo dos anos foi crescendo e irá continuar a crescer.

Para além da floresta existem ovelhas que passam na vinha, abelhas que polinizam as flores. No fundo, uma comunidade ecológica entre vinha e floresta, o que faz com a vinha seja muito mais sustentável e consiga combater problemas do aquecimento global como a seca, algo que está cada vez mais presente na viticultura e na agricultura em geral.

Este conceito de biodiversidade, agricultura biológica é algo que o Luís acredita piamente. E vai mais longe. A Herdade do Cebolal está a entrar num conceito ainda muito pouco conhecido em Portugal. Chama-se agricultura sintrópica. A agricultura sintrópica é o termos designado a um sistema de cultivo agroflorestal baseado num conceito de sintropia, ou seja, caracterizado pela organização, integração, equilíbrio e preservação de energia no ambiente. Esta vertente agrícola inspira-se na dinâmica natural dos ecossistemas, aproveitando ao máximo o terreno, considerando a manutenção e reintrodução de espécies nativas da região onde está a Herdade do Cebolal, como as castas regionais, medronheiros, sobreiros, pinheiros, várias árvores de fruto e muitas outras, havendo assim um grande enriquecimento do solo, devido à quantidade de matéria orgânica. Todo este processo faz com que aumente a biodiversidade, modificações positivas no ecossistema e por fim na qualidade dos vinhos.

Nascimento de um Novo Projecto – Vinho do Mar!

Nos últimos anos iniciaram um projecto que envolve Portugal pela sua longa história associada ao mar, a biodiversidade loco-regional, a comunidade local, a gastronomia, a arte, a cultura… Desde a sua infância que Luís Lufinha Mota Capitão (5ª geração de produtores) tinha um sonho – ir um dia ao futuro.

As nossas vinhas situam-se perto de Sines, “terra” onde nasceu e viveu Vasco da Gama, o grande navegador do caminho até á India. Há 7-6 anos começamos a desenvolver um novo produto que surgiu de conversas tidas com marinheiros e pescadores de Sines, com proprietários e adegueiros da região da Costa Alentejana/ Costa Vicentina. Procuramos perceber como seria possível ir ao futuro e ter a noção da capacidade evolutiva dos vinhos da Herdade do Cebolal.

Luis Mota Capitão

O Vinho

O vinho Cebolal Imerso é um vinho profundo e misterioso cheio de passado e carregado de futuro. Estagiou no Oceano Atlântico a uma profundidade entre 15 e 40 metros durante 12 a 21 meses. A ondulação do mar, a fauna e a flora marítimas criaram uma obra que é única, que não se repete

Herdade Cebolal
Herdade Cebolal

“Imerso” revela-se-nos assim como objecto artístico, numa colaboração poética da techné humana e da natureza. É feito a partir de um blend de castas de Castelão, Aragonês e Touriga Nacional. Foi fermentado em lagar de barro, estagiou em cuba e por fim estagiou no mar.

Harmonização

A nível gastronómico é um vinho muito versátil. Devido à sua estrutura, acidez e salinidade é um vinho que para além de ser muito prazeroso ao se beber sozinho, ganha também com conjugação com comida. Ideal para pratos regionais Alentejanos como a carne de porco à alentejana ou um arroz de lebre. Acompanha também pratos de forno com alguma gordura como por exemplo borrego assado no forno, mas pela sua frescura também acompanha na perfeição um peixe ao sal no forno. Ideal para entradas como enchidos de porco preto ou um queijo de Serpa.

Herdade Cebolal

Em suma, todas estas características de solo, clima, localização, respeito pelo meio ambiente, sustentabilidade, mão-de-obra, amor pelo projecto e este estágio tão especial e único no mar, e o facto de haver apenas 120 garrafas fazem com que este Cebolal Imerso Tinto, seja um vinho obrigatório de ter na garrafeira. O amor, o cuidado, o respeito a paixão que o Luís põe no seu projecto faz com que a Herdade do Cebolal seja um projecto especial e único no Mundo.

Luis mota Capitão - Considerações projeto Imerso

Se já no tempo de Vasco da Gama os marinheiros diziam que o vinho que era transportado nas caravelas ficava diferente do vinho de origem que tinha ficado em terra, isto em consequência da ondulação, das mudanças climáticas etc

Se antigamente alguns proprietários de adegas tinham a tradição de colocar garrafas de vinhos em poços de água ou enterradas na terra para, por um lado se protegerem de roubos e por outro, também, para avaliarem a evolução desses vinhos - o que os surpreendia bastante pelos resultados inesperados e diferentes do mesmo vinho que ficava na adega.

Se a analise destas duas situações desafiava a curiosidade, então resolvi fazer um ensaio e estudar o que acontece. Optei por desenvolver um produto que se chama “Cebolal Imerso” que afirma e demonstra a importância da relação entre a terra e o respeito pelo desconhecimento sobre a acção do mar na evolução dos vinhos.

Luis Mota Capitão

Sobre

Cebolal Imerso

Evento apresentação Cebolal Imerso 3 Junho 21:00H Facebook e Youtube Tintocao.com

Página Oficial

Luís Mota Capitão ( Produtor da Herdade do Cebolal)
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *